FoundationONE® HEME

Nosso serviço de mapeamento genômico para neoplasias hematológicas e sarcomas

.
O que é FoundationONE® Heme?

FoundationOne® Heme é uma moderna ferramenta na luta contra doenças malignas hematológicas e sarcomas. Foi desenvolvido para fornecer informações capazes de auxiliar o médico na escolha do melhor tratamento, além de conectar pacientes com estudos clínicos em andamento.
swipe
Perfil Genômico Abrangente

O FoundationOne® Heme fornece o diagnóstico do perfil genômico de forma abrangente e validada. É avaliada a sequência inteira de codificação de mais de 400 genes relacionados ao câncer, além de íntrons selecionados de 31 genes frequentemente rearranjados ou alterados nesses casos. Além do sequenciamento do DNA, o FoundationOneHeme® utiliza o sequenciamento do RNA em mais de 250 genes para capturar uma ampla gama de fusões gênicas, que são condutores comuns de doenças malignas hematológicas e sarcomas.15
Como funciona?

genes avaliados
íntrons selecionados
genes avaliados por
sequenciamento de RNA

de sensibilidade e VPP15

*VPP: valor preditivo positivo

                1) Um serviço que  detecta, de uma só vez,  todas as 4 classes de alterações genômicas
                para tumores sólidos

                2) Mais alta tecnologia de sequenciamento de nova geração (NGS) , com base em captura
                híbrida

                3) Sequenciamento do DNA de 406 genes e íntrons selecionados de 31 genes envolvidos
                em rearranjos

                4) Sequenciamento do RNA de 265 genes normalmente rearranjados no câncer, para melhor
                identificar as fusões gênicas novas e conhecidas

                Além disso, todas as amostras são revisadas por um hematopatologista ou patologista para
                garantir a viabilidade da amostra e o conteúdo tumoral.

swipe
Lista de Genes

swipe
Especificações de desempenho15
Por que FoundationONE® Heme?

Porque cada câncer é único e pode apresentar um perfil genômico com variações moleculares específicas. Hoje a Foundation Medicine já tem mais de 160.000 pacientes que utilizaram os seus serviços.

mapeamento amplo do perfil molecular realizado através do FoundationOne HEME® fornece aos médicos informações clinicamente relevantes para ajudar na subclassificação diagnóstica, avaliação de prognóstico e seleção de tratamento direcionado. Além disso, também informa sobre estudos clínicos em andamento.

Atualmente, existem várias terapias-alvo ou terapias guiadas por biomarcadores. Essas terapias têm como alvo proteínas com alterações moleculares advindas de mutações genéticas nas células cancerígenas. Diversos estudos mostraram que o uso de terapias guiadas por biomarcadores foi associado a melhores resultados  quando comparado a uma abordagem não direcionada11-13.  Assim, ao indicar quais alterações estão presentes, o FoundationOne HEME® auxilia o médico na escolha do tratamento mais adequado para cada paciente individualmente.

O exame FoundationOne®Heme pode beneficiar pacientes com diagnóstico de doenças malignas hematológicas (neoplasias hematológicas) e sarcomas, através da identificação de alterações moleculares relacionadas a essas doenças.
Benefícios Clínicos

Os resultados da analise são fornecidos em um relatório interpretativo, organizados por cientistas de bioinformática e aprovados por médicos patologistas certificados.

INFORMAÇÕES ÚTEIS, CLINICAMENTE RELEVANTES E FACILMENTE ENCONTRADAS

UTILIDADE
O resultado traz informações sobre: alterações clinicamente relevantes, comparações com evidências científicas atualizadas, opções terapêuticas para as mutações encontradas (terapia-alvo e imunoterapia), além de estudos clínicos em andamento.
IMUNOTERAPIA
Os relatórios incluem o estado da carga de mutação tumoral (TMB) e instabilidade de microssatélite (MSI) — biomarcadores que podem ajudar a estimar a resposta a inibidores de checkpoint e resposta a imunoterapia.
swipe
O relatório FoundationONE® Heme
O relatório do FoundationONE® Heme traz informações úteis e organizadas para facilitar a avaliação do médico.
Dúvidas frequentes de FoundationONE®Heme

O ensaio de CGP FoundationOne®Heme se aplica a todos os tipos de câncer?

O FoundationOne®Heme pode ajudar a compreender melhor alterações moleculares significativas em uma variedade de cânceres hematológicos e sarcomas, incluindo, entre outros: Leucemia, Síndrome Mielodisplásica, Neoplasia Mieloproliferativa, Leucemia Mieloide Aguda, Leucemia Linfoblástica Aguda e Sarcomas.7

 

Quem é elegível para um perfil do FoundationOne®Heme?

Qualquer paciente que apresente um câncer hematológico ou sarcoma é elegível para determinação de perfil com o FoundationOne®Heme.

 

Como o FoundationOne®Heme pode fazer a diferença na prática clínica?

O FoundationOne®Heme pode ajudar a maximizar a chance de encontrar alterações genômicas clinicamente acionáveis na prática clínica, expandindo potencialmente as opções de tratamento para os pacientes.8

Em um estudo de 3.696 amostras de câncer hematológico submetidas à determinação de perfil com o FoundationOne®Heme, em 95% foram identificadas a presença de pelo menos uma mutação "driver" (n=3.246/3.433).8 Este desfecho resultou em 77% dos pacientes identificados com pelo menos uma alteração genômica relacionada a uma terapia direcionada comercialmente disponível ou em desenvolvimento clínico (n=2.650/3.433).8 Além disso, constatou-se que 61% dos casos são portadores de uma ou mais alterações genômicas com relevância prognóstica conhecida nesse tipo de tumor.8

 

O que é Carga de Mutação Tumoral (TMB) e por que ela é útil?

Além dos alvos genômicos, outros biomarcadores, como a TMB, podem nos ajudar a compreender melhor sobre os perfis tumorais.4,10,16-18

A TMB é definida como o número total de mutações somáticas de acordo com a área de codificação de um genoma tumoral.4 Níveis elevados da TMB podem ajudar a prever a resposta a imunoterapias contra o câncer.4,10,16-18

Referências

11. Pao W and Hutchinson KE. Nat Med 2012; 18:349–351;

12. Wheeler DA and Wang L. Genome Research 2013; 23:1054–1062;

13. Tamborero D et al. Sci Rep 2013; 3:2650.

15. He J et al. Blood 2016; 24:3004–3014.